Linguagens, Frameworks e Plataformas quem é quem?

Saiba um pouco mais sobre essas definições e conheça quem é quem nesse universo.

Bom dia pessoal, vez por outra me pego conversando com alguém sobre esse assunto e tentando explicar a diferença entre linguagens, frameworks e plataforma, seu apara amigos, clientes ou usuários do blog. Por esse motivo, nesse post vou tentar esclarecer um pouco mais esse assunto que confunde tanta gente.

Hierarquia

O primeiro ponto que precisamos entender é a hierarquia, linguagens, frameworks e plataformas estão, nessa sequência, em níveis hierárquicos diferentes, aqui a regra de ouro é entender que: Linguagens constroem frameworks e frameworks constroem plataformas, simples assim como na figura abaixo.

A hierarquia de frameworks, linguagens e plataformas

Linguagens

As linguagens de programação são a base dos frameworks, e nesse ponto, creio que existam poucas dúvidas sobre o que é uma linguagem de programação, mas vamos a definição.

Linguagem de programação é um conjunto de regras e sintaxes capazes de em conjunto criar uma solução de software.

Como exemplo temos, PHP, ASP, C#, JAVA, Python, Ruby, e aqui é importante frisar que não citei o HTML, justamente por que ele não é uma linguagem de programação e sim uma linguagem de marcação.

Frameworks

Antes, de falar dos frameworks, é interessante entender a sua origem. Durante o processo de desenvolvimento de software diversas vezes caímos em situações repetitivas e que ja foram resolvidas anteriormente, por você ou por outros programadores, e é nesse prisma que surgem os frameworks, com o objetivo de agregar funcionalidades que já foram desenvolvidas anteriormente e disponibilizar ao desenvolvedor.

De forma simples, você pode entender um framework como uma caixa de ferramentas que o desenvolvedor tem a disposição para criar uma solução, nessa linha temos por exemplo: Zend, Rails, .Net, Struts.

Veja na tabela abaixo os mais comuns:

Plataforma

Por fim chegamos as plataformas, que são em última instância, software, funcional, instalado e passível de utilização por usuários finais, não desenvolvedores. Nessa categoria temos diversas sub-categorias de plataforma, como, CMS, Erp, E-commerce, etc…

É nesse momento que surgem, Drupal, WordPress, Joomla, Plone, Magento, Opencart dentre outros.

Um bom resumo disso é: o Php, constrói o Zend Framework, que por sua vez, constrói o Magento e-commerce, simples assim!

Até a próxima!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *