How Opencart database works?

Learn a little more about how Opencart database was modeled

Opencart database
Opencart database

Hi everyone, thurday, day to make a “hands-on” in the blog, and talk about development on the road.

As i promised last week today I will continue to tell you about the structure of the Opencart e-commerce platform, more specifically about their data modeling.

first of all remember that we are talking about a database built in MySql

A lot of tables, and a little bit of mess

On this default installation i’m using 1.5.1 version, the output Opencart account with absurd 89 tables, which in my opinion is overkill, just being common means when compared to other platforms in the same class like Magento.

Looking deeper into the data modeling we can identify some groups of tables, especially the prefix used in the name of the same, the main ones are.

  • attribute_…

Responsible for, the product attributes, things that have no relation to the grid or stock, but characteristics.

  • banner_…

Thats make sense, is only about advertising

  • category_…

Control the categorie tree, responsible by the store navigation

  • customer_…

Group almost all customer data, because the address is saved in other table named Address 😐

  • information_…
Responsible by content pages, looks like an WordPress posts
  • option_…

Group stock data, likes sizes, colors, etc

  • product_…

Product data only it in incredible 16 tables

  • return_…

Responsible by RMA system

A lot  of things?

Yet there are other smaller and less relevant gruops, but I think seeing that amount of groups and tables you already get an idea of the complexity, not always necessary, included on that database.

All this amount of tables is crafted almost a traditional manner by the models of the system which as I said last week are duplicated between the store and the administrative system  because system not uses one framework to encapsulate the queries or data.

Well, i think thats enough for today, on next thursday i will continue to talk to you about Opencart, explaining this time, how VQmod works with the Opencart System.

Hug, see you!

Dobrando a sua produtividade com Emmet!

Saiba como o Emmet vai fazer a sua produtividade dobrar deixando a codificação muito mais divertida

Olá leitores mais inteligentes da internet, hoje é segunda-feira, dia, aqui no blog de dicas de produtividade para quem trabalha com desenvolvimento, e como diria o pessoal de call-center: “Vamos estar Dobrando a sua produtividade” com essa dica de hoje, alias o post de hoje é o artigo de número 400! aqui no blog, mas vamos conheçer um pouco mais sobre o Emmet.

Se você não tem paciência para ler o texto, assista o Screencast no final do post

O que é o Emmet?

Pra quem nunca ouviu falar da Emmet esse o novo nome/marca da biblioteca mais famosa biblioteca de html/css “improvement”, ou seja ela torna o ato de programar escrever Html/CSS extremamente mais produtivo com base em uma série de atalhos e pequenos  truques que facilitam a vida do desenvolvedor.

Quem criou o Emmet?

A biblioteca Emmet foi criada e é atualmente mantida por Sergey Chikuyonok desenvolvedor russo que possui além desse uma série de outros projetos open-source que você pode acompanhar em seu Github

Por que o Emmet vai dobrar a sua produtividade

Simples, você vai digitar menos, a mecânica do plugin é muito simples, basta digitar o atalho e apertar o Tab e a mágica acontece, veja o exemplo:

Você digita:

div#container>ul>li*3

Aperta TAB e o editor transforma em:

Produtividade com Emmet
Produtividade com Emmet

E quando falamos de CSS, basta que você decore alguns atalhos que irão fazer mágica com sua produtividade, veja a lista abaixo, e não esqueça de sempre ativar o atalho com a tecla table-layout:

m50 = margin: 50px;
w30 = width: 30px;
tl = text-align: left;
fs = font-style: ;

E a lista é gigantesca, e você pode conferir aqui na documentação do projeto

Como instalar o Emmet no SublimeText?

O Sublime é o meu editor preferido dentre outras coisas pela facilidade em se installar plugins, e neste caso não é diferente, basta abrir o gerenciador de pacotes (CMD+SHIFT+P e procure Package Manager) Selecione instalar novo pacote, procure por Emmet e aperte Enter, reinicie o sublime e pronto.

Onde baixar o Emmet? 

No site oficial do projeto você encontra plugin do Emmet para as plataformas mais usadas do mercado como SublimeText, TextMate, Coda, Eclipse, Notepad++ dentre outras (http://emmet.io/download/)

É isso pessoal, até amanhã!

Assista no Screencast abaixo como utilizar o Emmet no Sublime

 

Html5 passo a passo – parte 1

Saiba o que é o Html5 passo a passo, e conheça todos os detalhes dessa tecnologia que vem revolucionando a forma como desenvolvemos sites.

Sexta feira, dia de falar de usabilidade e interface aqui no Blog, hoje o post demorou mais do que o normal para ser publicado por que o dia foi bem corrido, mas vamos ao que interessa Html5 passo a passo.

Semana passada eu falei para vocês sobre como criar um layout responsivo utilizando o Skeleton framework, em um passo a passo sobre como baixar instalar e criar seu projeto em cima deste framework, se você ainda não leu não perca tempo e leia agora!

Mas hoje vou iniciar uma série sobre HTML5, onde pretendo explicar em detalhes os conceitos por tras dessa nova especificação da linguagem html, além dos detalhes sobre os novos elementos, como funcionam e como podem ser utilizados, sempre com exemplos práticos.

HTML 5
HTML 5

O que é o HTML5?
Na década de 90 foi desenvonvida a especificação da linguagem de marcação HTML4, de lá pra cá muita coisa achonteceu, a tecnologia mudou, os navegadores evoluiram e se mostrou necessária uma atualização da especificação, e essa atualização deu origem ao HTML5.

Todavia a especificação criada pelo W3C ainda não se encontra finalizada ou indicada como padrão, uma vez que nenhum navegador ainda possui suporte completo a todas as suas definições, a previsão para que isso aconteça nesse momento é 2014

Quais são as vantagens do HTML5?

As principais vantagens desta especificação do HTML são:

* Seus novos recursos baseados na utilização do DOM
* Maior facilidade para identificar e corrigir erros de codificação
* Maior compatibilidade entre plataformas diferentes (Mobile/Desktop)
* Menor necessidade de plugins (Flash)
* Utilização da linguagem MathML
* Utilização da linguagem SVG
* Inclusão de uma série de novos elementos
* Remoção de elementos desnecessários ou obsoletos

Essas são apenas algumas das centenas de vantagens dessa nova especificação, e que vou entrar em detalhe nos próximos artigos da série.

Por hoje é só, sexta-feira que vem eu volta para falar sobre as novas APIs que foram inclusas nessa nova especificação. Até lá!

 

Personal Branding – Você esta cuidando da sua marca pessoal?

Personal Branding, você sabe o que é? Como você tem cuidado de sua marca pessoal nos meios digitais? Veja algumas dicas.

Personal Branding – Bom dia pessoal, quinta-feira é dia de um papo menos técnico por aqui, e ontem em um papo muito interessante com o Marcelo Balerone do blog Esquenta, acabei relembrando o conteúdo de um palestra que ministrei na Universidade Anhembi Morumbi em 2011 e como esse assunto se faz ainda mais relevante nos dias de hoje.

Veja abaixo os slides da palestra que dei em 2011 e uma resenha interessante sobre ela

Digital Personal Branding from Rafael Franco

Provavelmente com os slides você não vai conseguir captar o conteúdo mas consegue ter uma idéia do que foi falado, e é basicamente a estratégia que aplico na gestão da minha marca pessoal no meio digital.

Basicamente posso resumir a idéia geral do conceito de gestão de marca pessoal em uma construção de marca que transmita de forma clara e sólida a imagem que você deseja as pessoas que você não conhece pessoalmente.

Nesta apresentação falei um pouco sobre os principais erros cometidos quando a gestão de marca pessoal é mal feita, que considero:

  1. Relacionamento de sua marca com conteúdo inadequado
  2. Dispersão de público devido a indefinição correta desta marca
  3. Marca não existente
  4. Marca não identificável

Esses são apenas alguns de uma série de problemas encontrados e que pretendo abordar nas próximas semanas,  mas hoje gostaria de aproveitar o assunto para indicar um livro curto, direto e bem objetivo sobre a gestão de perfis no LinkedIn, a leitura é rápida por se tratar de um livro curto porém é de grande valia para quem está começando a identificar o valor de uma gestão mais assertiva da sua marca pessoal

Trata-se do Linkedin, como se destacar – do autor Wagner D da Silva o livros está em formato e-book disponibilizado de forma gratuíta na Ibookstore e você pode baixar aqui

Linkedin, como se destacar
Linkedin, como se destacar
 Faça a leitura dos dois materias e comece hoje a cuidar da sua marca pessoal, e até a próxima!

Manipuladores, as ferramentas utilizadas na robótica

Manipuladores, peça principal no cenário da robótica e da automação industrial, saiba como são e funcionam.

Oi pessoal como estão? hoje é quarta-feira dia de dar segmento a nossa série de posts sobre o tema robótica, quero trazer hoje um tema muito importante e que complementa as informações dos nossos últimos dois posts (1) (2) dedicados a utilização de robôs na automação industrial que são os manipuladores.

Os manipuladores como o nome diz são robôs especialistas na manipulação de objetos de todas as formas e tamanhos e basicamente podem ser dfinidos como os tipos de robôs utilizados na automação industrial básica, e tem como característica básico o fato de não se tratar de humanóides como você pode estar imaginado e sim de braços robóticos e em sua maioria são classificados em um dos grupos listados abaixo:

Retangulares –  Tem como vantagens a facilidade de visualização e de programação além de sua estrutura rígida e como desvantagens o fato de só poder alcançar o que esta a sua frente, possuindo assim uma baixa relação entre envelope de trabalho e área ocupada, se você não sabe o que é envelope de trabalho, leia aqui.

Manipulador Retangular
Manipulador Retangular

Gantry – Similares aos cartesianos, mas funcionando com base em suportes paralelos na lateral.

Manipulador do tipo Gantry
Manipulador do tipo Gantry

Cilíndricos – Tem como principal característica o movimento por meio de coordenadas cilíndricas que são definidas com base nas variáveis: altura, rotação e extensão do braço. Tem como vantagens o fato de  conseguir alcançar tudo em seu entorno, eixos rígidos e eixos de rotação de fácil construção  já como desvantagens podemos elencar o fato de não conseguir  alcançar o ponto imediatamente acima do manipulador e a não capacidade de ultrapassar obstáculos

Manipulador Cilíndrico
Manipulador Cilíndrico

Esféricos – É basicamente controlado por meio de coordenadas polares: Rotação, Tilt e Extensão do braço. Podemos destacar como vantagem principal seu grande alcance na horizontal. e como desvantagem o fato de não conseguir ultrapassar um obstáculo e de forma geral um pequeno alcance vertical.

Manipulador Esférico
Manipulador Esférico

Articulados – São os mais completos e utilizados, e caracterizados por juntas rotativas verticais, com eixos na horizontal. Funciona como uma escavadeira e possui em geral 3 juntas rotatórias que permitem atingir qualquer posição no espaço em alta velocidade.
Vantagens: Pode alcançar sobre ou sob obstáculos; Possui a maior área de trabalho, com a menor área de alcance na mesa. e como desvantagem mais latente temos a sua complexidade de programação.

Manipulador Articulado
Manipulador Articulado

SCARA– É um manipulador considerado não tradicional, e que possui juntas rotativas com eixos na vertical (juntas na horizontal) criado para manipular objetos pequenos e com precisão, normalmente é utilizado em objetos de tamanho reduzido, veja no vídeo abaixo, esse manipulador sensacional.

É isso pessoal, com esse artigo nós fechamos essa primeira série de posts com os conceitos básicos da robótica aplicados a área de automação industrial, espero que tenham sido interessantes e que possam lhe auxiliar no estudo desta área tão interessante da tecnologia.

Quarta feira que vem estarei de volta com mais um artigo dedicado a área de Robótica e Inteligência Artificial.

 

Como funciona o VQmod no Opencart?

Saiba como funciona o VQmod no Opencart e como ele vai facilitar a sua vida na customização desta plataforma

VQmod no Opencart
VQmod no Opencart

Bom dia pessoal, terça-feira, dia de colocar a mão na massa aqui no blog e falar de código na prática, hoje eu vou dar segmento a série de posts que venho fazendo (1), (2), sobre a plataforma de comércio eletrônico Opencart e como eu prometi na semana passada, hoje eu vou explicar pra vocês: como funciona o VQmod, e como ele ajuda a facilitar a vida do desenvolvedor que trabalha com o Opencart.

O que é o VQmod?

Conceitualmente é uma idéia muito simples, você criar pequenos patchs para os arquivos php do core da ferramenta, porém agrupa os mesmos em um arquivo XML localizado na pasta do VQmod, sempre pontuando qual arquivo deseja alterar, o ponto de início da alteração e se deve ser feita via replace, ou incluindo código antes ou depois do ponto de alteração.

Feito isso o VQmod no momento da execução do PHP original, aplica o Patch e cria uma nova versão do arquivo que é salva em CACHE e sempre que o arquivo é executado o Apache vai utilizar a versão de cache e não a original, dessa forma você pode alterar os arquivos do core do sistema, sem efetivamente altera-los.

Porque utilizar o VQmod no Opencart?

Infelizmente o Opencart não conta com um sistema adequado de atualização ou customização, desta forma os desenvolvedores sempre que desejam atualizar a plataforma, tem como único meio para isso: copiar os arquivos novos sob os antigos, perdendo desta maneira todas as customizações realizadas e/ou melhorias no core da ferramenta.

É justamente para melhorar esse cenário que surge o VQmod como forma de encapsulamento e separação das customizações criadas pelo desenvolvedor, da parte atualizável do sistema, permitindo assim atualizações menos traumáticas.

Como instalar o VQmod no Opencart?

A instalação do módulo, por assim dizer é bem simples, basta baixar o pacote aqui, e descompactar na raiz da sua aplicação, após este passo, acesse pelo navegador a pasta de instalação, onde será necessário dar permissão de escrita nos arquivos indexes da plataforma, além de permissão na pasta de cache do módulo, ou seja em dois minutos você realiza a instalação. Feito isso é só escrever os XML de alterações.

Outras implementações do VQmod

Segundo a equipe de desenvolvimento do projeto, o mesmo não foi desenvolvido exclusivamente para Opencart, podendo ser aplicado a qualquer plataforma MVC escrita em PHP com apenas alguns ajustes, e já existem implantações para phpbb e cmsmadesimple, e em breve outras surgirão.

Aproveitando, o pessoal do Surgimento, fez um vídeo explicando passo a passo como funciona o VQmod, vale a pena dar uma olhada.

É isso pessoal, até terça-feira que vem com mais dicas sobre o universo do comércio eletrônico, colocando a mão na massa no desenvolvimento de soluções.

Um Abraço!

[SCREENCAST] Como criar snippets no SublimeText?

Saiba como criar Snippets que vão te ajudar e muito a ganhar tempo no SublimeText

Oi pessoal, segunda-feira, dia de trazer dicas para aumentar sua produtividade, e hoje vou voltar a falar um pouco sobre o SublimeText e seus snippets, a minha ferramenta preferida para edição de código que eu já havia citado aqui no post do dia 22/04. 

Snippets SublimeText
Snippets SublimeText

O SublimeText, caso você não saiba, é na minha opinião a melhor ferramenta para edição de código que já foi criada, e isso, basicamente, devido a sua simplicidade e objetividade.

A ferramenta diferentemente de IDEs mais “completas” não é sobrecarregada de módulos e etc… o que a torna bem rápida de forma geral, bom mas vamos ao assunto do dia “Criar snippets no SublimeText”.

O que são SNIPPETS?
Bom, conceitualmente, snippets são pequenos trechos de códigos que podem ser reaproveitados durante o desenvolvimento de um projeto ou no seu dia. No contexto do tutorial de hoje, vamos colocar como, trechos de código que você digita constantemente.

Dito isto, a utilidade de se criar snippets fica clara o suficiente, correto? Bom, analise o trecho de código a seguir:

<div id=”container” class=”minha-class”>
Conteudo da div
</div>

Com certeza é um trecho que todo bom desenvolvedor web digita centenas de vezes não? Bom e que tal digital apenas container e a mágica acontecer?

Bom é exatamente isso que vai acontecer ao criar um snippet so SublimeText, veja passo a passo como fazer:
(Ou se você preferir assista o screencast no final do post)

Passo 1: Clique em Tools > New Snippet

Será criado um novo arquivo xml com a estrutura abaixo:

<snippet>
<content><![CDATA[
Hello, ${1:this} is a ${2:snippet}.
]]></content>
<!– Optional: Set a tabTrigger to define how to trigger the snippet –>
<!– <tabTrigger>hello</tabTrigger> –>
<!– Optional: Set a scope to limit where the snippet will trigger –>
<!– <scope>source.python</scope> –>
</snippet>

Passo 2
Altere a estrutura do arquivo para a estrutura a seguir:

<snippet>
<content><![CDATA[
<div id=”container” class=”${1:this}”>
${2:snippet}
</div>
]]></content>
<!– Optional: Set a tabTrigger to define how to trigger the snippet –>
<tabTrigger>container</tabTrigger>
<!– Optional: Set a scope to limit where the snippet will trigger –>
<!– <scope>source.python</scope> –>
</snippet>

Passo 3 salve o arquivo

Pronto, agora é só abrir um novo arquivo html e digitar a palavra container e apertar a tecla TAB, e você será direcionado aos campos para digitar o conteúdo.

Se você não teve paciência para o passo a passo assista o screencast.

É isso pessoal, baixe o Sublime, crie seus snippets e seja feliz!
Até semana que vem

Resumo do mês – Abril 2013

Abril 2013
Abril 2013

Oi pessoal, estava aqui pensando e imaginei que seria legal ao final de cada mês fazer um post resumindo o que de mais legal rolou aqui no blog, as novidades e os planos para o futuro, não é um post de conteúdo muito relevante mas vale como curiosidade.

Saiba tudo que aconteceu por aqui em Abril 2013

No mês de Abril posso dizer que o blog foi re-lançado, na verdade esse blog existe desde o longínquo 2005 quando escrevi pela primeira vez, sobre blog, podcasts e marketing pessoal um post curto e bem ruim diga-se de passagem, de lá pra ca muita coisa aconteceu, melhorei bastante a escrita (ainda bem) e já escrevi 393 post sobre os mais diversos assuntos…

Porém nos últimos dois anos essa vontade de escrever havia desaparecido, vontade essa que voltou com força total esse mês e espero continue para sempre, resumo, em Abril foram incríveis 19 posts apenas em português o que é quase o dobro dos 10 escritos em todo o ano passado, e que alias não foram dos melhores.

Com isso as visitas que estavam sempre a cair, voltaram a subir fortemente, e nessa esteira comecei também a traduzir os posts para o idioma do mundo o inglês, foram apenas 4 mas é um começo… e quero nos próximos meses partir também para o espanhol.

Quanto ao conteúdo investi em temas avançados como Robótica e Usabilidade, começando com conceitos básicos e me aprofundando aos poucos, e pretendo me aprofundar mais nos próximos meses, outro tópico que você vai ver muito por aqui é o comércio eletrônico com o Opencart.

Veja os 5 conteúdos mais acessados do mês (Apenas postados no mês):

  1. Myo, disparado é o mais acessado Nada como um título polêmico rs
  2. Glonass – Curiosidade
  3. Google Glass
  4. Layout Responsivo
  5. Parallax
Conteúdos de áreas bem diversas e que me incentivam a manter a estrutura editorial que adotei com uma assunto por dia da semana.
Outro destaque do mês foi a fã-page do blog no Facebook que atingiu mais de 1200 curtidores e espero que continue crescendo esse mês.
É isso pessoal um pequeno resumo do mês de Abril e em Maio tem muito mais.

Crie layouts responsivos com o Skeleton framework

É hora de colocar a mão na massa e criar sites com layouts responsivos, e o Skeleton vai te ajudar com isso

Bom dia pessoal, sexta feira, como ja é tradicional aqui blog: é dia de falar de usabilidade e interface, e layouts responsivos, mas antes, se você ainda não leu o post da semana passada, quando falei sobre o efeito Parallax, não perca tempo e leia agora clicando aqui.

Mas vamos aos assunto do dia que hoje é o uso do Skeleton framework na criação de layouts responsivos, aliás esse é um assunto que abordei aqui a 3 semanas atrás e prometi uma análise dos frameworks e hoje vamos a primeira delas

Como utilizar o Skeleton framework?

O framework é composto de uma série de arquvios CSS e o primeiro passa é fazer o download do pacote no link, um detalhe interessante é que você pode fazer o download dos arquivos também em PSD, o que facilita a construção e projeto dos layouts do site seguindo as regras.

Após o download extraia os arquivos na pasta de seu projeto, a estrutura criada vai ser igual a esta abaixo:

Layouts responsivos - Estrutura do Skeleton
Layouts responsivos – Estrutura do Skeleton

Dentro dos arquivos você encontrará o Index.html que é o resposável pela exibição de uma página modelo, que exemplica o conceito por trás do framework.

Analisando o arquivo temos no cabeçalho as chamadas aos arquivos de estilo do framework que são 3 base.css, skeleton.css e layout.css, uma chamada providencial ao html5.js que melhora a relação do IE com as tags do HTML5 e uma definição de 4 “Favicons” onde já temos o primeiro conceito responsivo, pois são definidos ícones também para iPhones e iPads.

Quando chegamos ao body do arquivo chegamos a uma estrutura bem simples e funcional, composta de uma div com função de container seguida de uma div utilizada para cabecalho e outras 3 que exemplificam o conceito de design responsivo, pois basta você reduzir a largura da tela para que o conteúdo se adapte perfeitamente ao tamanho da tela, tudo de forma “automágica”.

Veja os exemplos:

Skeleton no Desktop
Skeleton no Desktop
Skeleton no Mobile
Skeleton no Mobile

Simples assim, para usar o projeto basta agora escrever os seus htmls seguindo esses conceitos básicos do framework e adequar o mesmo as suas necessidades.

O Skeleton também está disponível no Github em https://github.com/dhgamache/Skeleton

E você ainda pode ver abaixo alguns exemplos de projetos implementados com base no framework

  

No site do framework (http://www.getskeleton.com/) você encontra ainda plugins para wordpress, além da lista completa de recursos do framework, com exemplos de estilo, elementos para formulários e exemplos de utilização do grid, o que vai acelerar e muito sua implementação.

O Skeleton é compatível com os navegadores:

  • Chrome (Mac/PC)
  • Firefox 4.0, 3.6, 3.5, 3.0 (Mac/PC)
  • Safari
  • IE9, IE8, IE7
  • iPhone (Retina)
  • Droid (Charge/Original)
  • iPad

É isso pessoal, agora você já pode criar seu site utilizadndo layouts responsivos, até a semana que vem com mais dicas de Usabilidade e interface, até a próxima.

Bom fim de semana 🙂

Conheça a Enigma, BI com dados públicos

Start-up Enigma, torna público de verdade as informações que já são públicas, entenda.

 

Aconteceu na última semana no Manhattan Center o TechCrunch Disrupt NY, que contou com uma batalha de start-ups em busca de um prêmio de 50 mil dólares, e a vencedora dessa vez foi a Enigma, uma startup situada em New York e que atua no segmento de Big data.

Mas o que é a Enigma?
Basicamente, o conceito por trás do sistema está em organizar de uma forma legível, dados públicos e que já estão disponíveis de deiversas maneiras, veja este exemplo:

Se você procurar “Boeing” na busca do Enigma você vai visualizar uma lista de com todas as licensas emitidas para esse tipo de aeronave, os financiamentos disponibilizados as operadoras, a lista de companhias que compraram a aeronove e caso você opte em “abrir” os dados poderá chegar ao número de licensa das aeronaves e quem realmente esta utilizando ela, e se a mesma se envolveu em algum tipo de acidente.

Este é um exemplo genérico mas que demonstra o poder da ferramenta que pode ser considerada uma ferramenta de Bussines Intelligence pública.

Enigma
Enigma

 

Modelo de negócio

O modelo de negócio também é interessante pois a empresa vai oferecer os dados a pessoas comuns que queiram realizar buscas diretamente pela interface do site e também via API para desenvolvedores e empresas criarem soluções baseadas na ferramenta.

Como a Start-up é americana, os dados ainda são apenas de interesse dos E.U.A mas esta aí uma boa idéia para implantar por aqui, pois com a lei de acesso a informação http://www.acessoainformacao.gov.br/acessoainformacaogov/ temos bilhões de dados disponíveis, porém de forma espalhada e em padrões diferente, e organiza-los seria uma tarefa no mínimo interessante.

 

Veja abaixo um pequeno vídeo sobre a empresa:

É isso, até quinta-feira que vem com mais novidades do mundo da tecnologia e inovação.