Os aplicativos móveis na indústria 4.0

A indústria vem passando por uma revolução sob os conceitos de Indústria 4.0, e os aplicativos móveis tem um papel fundamental nessa transformação.

Os aplicativos móveis já fazem parte do dia a dia dos consumidores a quase uma década, no varejo eles foram adotados em larga escala nos últimos anos, basta olhar a revolução que passou o mercado de delivery, tenho certeza que você não liga para um restaurante ou para uma central de taxi a muito tempo… E agora chegou a vez da indústria adotar os aplicativos móveis em larga escala, por isso separei algumas aplicações que podem fazer a sua indústria entrar nessa nova era.

COMUNICAÇÃO

Não temos como falar de Tecnologia da Informação sem falar de Comunicação, (daí a sigla TIC), é inegável a agilidade da comunicação através de dispositivos móveis, seja através de mensagens de texto, de áudio ou de vídeo.

Através de aplicativos de comunicação criados especificamente para sua indústria você consegue disponibilizar a informação e o acesso as pessoas certas no momento certo, o que facilita a circulação de informação baseada nas “policies” corretas de acesso a informação ajudando nas questões de compliance.

REDUÇÃO NO USO DE PAPEL

A digitalização da informação é um desafio das indústrias que busca ser mais sustentáveis e inteligentes, pois através do preenchimento de check-lists e formulários de chão de fábrica em dispositivos conectados as informações podem ser disponibilizadas em tempo real para os gestores facilitando o processo de monitoramento e tomada de decisão.

E tudo isso ainda acontece com ganho de produtividade tendo em vista que o preenchimento digital é muito mais ágil que o analógico e elimina o retrabalho de input e consolidação posterior de dados, gerando assim economia no processo.

MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAL E EQUIPAMENTOS

Uma das grande possibilidades disponíveis com o uso de aplicativos e também área de grande atuação de nossas soluções esta na geo-localização, através do uso correto do posicionamento a indústria que normalmente apresenta: grande área de trabalho, número grande de colaboradores e de deslocamentos pode realizar o tracking em tempo real da equipe, de materiais e de equipamentos.

Tendo estas informações em mãos os gestores conseguem em tempo real analisar o fluxo de pessoal e material na planta podendo tomar ações corretivas se necessário.

Além dos aplicativos, esse tracking pode ser realizado através dos Beacons Bluetooth ou da utilização de etiquetas e leitores RFID.

CONTROLE DE CUSTOS E TIMESHEET

Um dos desafios da indústria é entender quanto tempo foi despendido e quantas pessoas foram envolvidas na produção de uma peça, através de aplicações de Timesheet é possível realizar este controle de forma simples e com resultados exatos e em tempo real através do cruzamento de informações de policiamento do usuário.

Essas são apenas algumas possibilidades da utilização de aplicativos móveis dentro do paradigma da Indústria 4.0, para saber mais sobre o assunto e discutir as possibilidades de implantação em sua empresa vamos marcar uma reunião e conversar.

Até a próxima.

Aplicativos híbridos, um guia rápido de 10 minutos para você.

Aplicativos “cross-platform” ou híbridos como são conhecidos por aqui, são um bom negócio para o seu projeto? Confira nosso guia rápido para lhe ajudar nessa decisão.

Essa é uma longa discussão e uma decisão difícil, pois cada plataforma tem suas vantagens e desvantagens dependendo dos requisitos do seu projeto, objetivos do seu negócio, prazo, budget, tamanho do público entre outras variáveis.

Neste pequeno guia, procuro abordar os principais prós e contras desta solução e se é valida a aplicação.

O que é uma plataforma híbrida ou “cross-platform” ?

A grosso modo esse termo é utilizado para denominar o desenvolvimento de aplicativos de maneira a aproveitar mesmo que parcialmente o código criado entre diversas plataformas, sendo as mais relevantes IOS e Android.

Esse modelo difere do desenvolvimento nativo, onde não existe aproveitamento de código entre as plataformas e cada uma é tratada como um projeto diferente.

Vantagens do desenvolvimento híbrido:

1. Menor custo de desenvolvimento e menor tempo de projeto

Através deste método é criada uma única base de código, o que reduz a complexidade do projeto pois envolve um número menor de frameworks, sdks, e abordagens de sistema.

Claro, desta forma o projeto também necessita de menos “mão de obra” para sua execução e é possível uma redução de cronograma considerável.

Através de uma abordagem correta é possível aproveitar mais de 75% do código entre as plataformas o que é um ganho considerável.p.

2. Estar disponível em diversas plataformas

Estando disponível em múltiplas plataformas seu aplicativo tem uma chance muito maior de alcançar uma base de usuários relevante de forma mais rápida e consistente.

3. Utilizar as vantagens das ferramentas híbridas

Ionic

A comunidade Ionic é composta de milhares de desenvolvedores ao redor do mundo que buscam constantemente melhorar as soluções existentes e criar novas e melhores.

A plataforma também disponibiliza uma série de ferramentas para aumentar a velocidade de desenvolvimento e a facilidade de manutenção em todo o ciclo do projeto, alguns exemplos são o Ionic Creator e o Ionic View.

React Native

Se a sua busca é por uma experiência mais próxima da encontrada no desenvolvimento nativo, então o React é a ferramenta ideal, claro nem tudo são flores e o aproveitamento de código cai porém o a velocidade aumenta.

Desvantagens da abordagem híbrida

1. Pequenos problemas de interface

Tendo em vista que os frameworks de desenvolvimento híbridos buscam encontrar soluções que possam ser replicadas para todas as plataformas é possível que em alguns elemento s de interface a experiência não seja tão fluída como em um aplicativo nativo, ou que um seletor de iOS seja aplicado no Android o que pode causar estranheza no usuário.

É claro que as plataformas trabalhar para reduzir este problema, mas ele é uma realidade.

2. Atraso na implementação de novas funcionalidades

Existe um delay entre o lançamento das novas funcionalidades do iOS ou do Android e a sua disponibilização nas plataformas híbridas, esse não é um problema para 95% dos apps, mas se você quer usar aquela funcionalidade divulgada semana passada isso pode ser um problema.

A cross-platform tool may prevent you from implementing the latest iOS or

Meu projeto deveria usar um APP híbrido?

Sempre respondo essa pergunta com outras perguntas, e a principal delas é:

Essa é primeira versão do seu APP, ou estamos falando de um MVP? Se a resposta for sim, com certeza você deveria considerar a utilização da tecnologia híbrida.

Projetos em fase inicial tendem a demandar um número muito grande de modificações e em alguns casos transformações completas são necessárias (pivotagem) e neste caso o desenvolvimento nativo pode trazer custos sufocantes para o projeto.

Porém se o seu projeto já esta maduro, e precisa de uma nova versão, mais estável e para suportar uma grande carga de usuários, ai a tecnologia nativa pode fazer mais sentido.

É isso, espero ter ajudado você a entender melhor esse cenário que traz tantas dúvidas para quem esta buscando entender melhor o mercado de aplicativos.

Como utilizar aplicativos no PDV para aumentar seus resultados.

A maioria dos profissionais de marketing e operações quando pensa em incluir o uso de aplicativos em seu mix de marketing acaba se limitando aos modelos tradicionais de aplicativos voltados a venda direta ao consumidor.

Ontem, assistindo a uma aula muito interessar na plataforma meusucesso.com, que explica a estratégia adotada pela Multilaser no uso do aplicativo para melhorar o relacionamento com as equipes de vendas do varejo tive alguns insights sobre como sua empresa pode usar a mesma estratégia.

Pensando no aplicativo como uma ferramenta de capacitação da força de vendas e ampliação do conhecimento sobre a grade de produtos essa ferramenta pode ser essencial para a melhoria dos seus resultados diretamente no ponto de venda.

Algumas maneiras de explorar essa ferramenta são:

– Guia de produtos, através do app sua empresa pode entregar diretamente no ponto de venda, vídeos, estudos, comparativos e detalhes técnicos de cada SKU com um nível de detalhe inimaginável quando pensamos nos tradicionais catálogos.

– Relacionamento e meritocracia, através do app você pode desenvolver ranking de vendas e premiar os melhores profissionais incentivando a escolha dos seus produtos.

– Comunicação direta, através de ferramentas como a notificação push e chat direto, sua empresa pode rapidamente alertar a força de vendas sobre os aspectos e benefícios de um novo lançamento.

Essas são apenas algumas dentre as dezenas de possibilidades que o uso de aplicativos diretamente no ponto de venda pode trazer para sua empresa.

Para quem quiser assistir a aula sobre o case da Multilaser, fica aqui o link: https://meusucesso.com/conhecimento/cursar/to-the-point-12/?aula=602

Funcionalidades que não podem faltar no seu aplicativo

Depois de participar do desenvolvimento de mais de 50 projetos de aplicativos para os mais diversos mercados e objetivos e poder ver na prática o que dá e o que não dá certo resolvi separar para vocês algumas funcionalidades que você não pode deixar de incluir no seu projeto de aplicativo.

Vamos a elas?

Notificações PUSH

Depois do projeto lançado é essencial que você possua uma ferramenta para se enviar comunicados para a sua base de usuários.

Para resolver essa questão as notificações PUSH tem o timing e a facilidade perfeitas.

Geo-localização

Quando falamos de mobile, aproveitar o contexto de localização do usuário é algo que pode significar a diferença entre uma boa e uma má experiência de uso. Para quê solicitar que o usuário preencha o endereço, se o APP pode identificar isso diretamente?

Por que não trazer para o usuário as ofertas mais próximas e já integrar o resultado diretamente com o Waze ou o Google Maps? A regra de ouro aqui é facilitar a vida do usuário.

CHAT

Passamos o dia todo em ferramentas de chat, seja no WhatsApp, Messenger ou Skype… Agora imagina que interessante poder falar diretamente com seus clientes diretamente em seu aplicativo? Sim, considere essa ferramenta de comunicação seja para suporte a operação ou seja para tirar dúvidas do seu consumidor, a palavra da vez é agilidade!

É claro que existem diversas funcionalidades que devem ser incluídas de acordo com o escopo e objetivo do projeto, mas essas três deveriam ser consideradas em praticamente todos os projetos de aplicativos!

Até a próxima! 

3 dicas para o seu projeto de aplicativo não falhar

Eu venho participando diretamente do desenvolvimento de sites sistemas e aplicativos de forma constante nos últimos 12 anos, e mais intensamente nos últimos 18 meses desde que fundei a Alphacode, empresa especialista nesse tipo de projeto, e baseado na observação e participação em mais de 150 projetos nesse período cerca de 20 no último ano, gostaria de compartilhar com você algumas dicas que podem aumentar a chance de sucesso do seu projeto.

1 – Tenha um escopo claro

Grande parte da frustração em um projeto de desenvolvimento, eu diria que mais de 80%, acontece justamente devido a falta de um escopo claro que defina o real objetivo do projeto / aplicativo.

De maneira geral os responsáveis pela contratação do projeto na ânsia de lançar algo no mercado não dedicam a devida atenção a essa tarefa e não raro tentam iniciar o desenvolvimento do projeto apenas com base no que tem na cabeça no campo das idéia, sem antes colocar no papel.

A dica aqui é, esqueça a tecnologia, frameworks, metodologias etc… Defina o seu projeto textualmente, o que ele faz? Quais problemas resolve? Quais são os tipos de usuários? Como será acessado? Responda essas perguntas e parta para a construção da arquitetura / wireframe /ux / design, antes de pensar na primeira linha de código.

Na minha opinião a definição de um escopo bem definido é: um projeto onde no dia 1 de desenvolvimento é possível dizer, quantas telas o sistema/aplicativo terá e com quais funcionalidades.

2 – Foque em resolver problemas reais

Por mais óbvia que essa dica pareça não tem sido raro me deparar com idéias / soluções que resolvem problemas que simplesmente não existem, ou seja resolvem “não-problemas”, apenas para exemplificar.

Digamos que você esta criando um projeto que ira conectar pessoas para aluguel de imóveis, algo como o AirBnB ou similar, ah menos que seu modelo de faturamento esteja em cobrar uma comissão neste processo você não precisa se preocupar em fazer um sistema completo de e-mail para que as duas partes conversem por que elas simplesmente irão utilizar o WhatsApp ou outro Messenger pra fazer isso em 90% dos casos.

Foque em refinar o seu mecanismo de busca e avaliação para que o seu usuário encontre a melhor oferta possível, e deixe o meio de comunicação para quem se propôs a ser um meio de comunicação.

Esse é apenas um exemplo, mas a mesma idéia vale para verias outras questões que o seu aplicativo não precisa resolver, simplesmente por que já estão resolvidas.

3 – Mantenha a coisa simples

Esta é a principal e mais difícil dica a ser seguida, boa parte dos líderes de projeto de sistemas e aplicativos se tornam o que eu chamo de viciados em funcionalidades.

Não raro um projeto que começou com uma ideia em poucos meses se transforma em um mini Frankenstein que não sabe mais a sua real função e que ganha freneticamente sub-menus, dentro de sub-menus, simplesmente por que o líder de projeto quer atender a todas as possíveis utilizações da ferramenta.

Baseado em meu próprio acompanhamento e medição de diversos projetos que participei posso garantir, mais de 50% das funcionalidades implementadas no projeto são utilizadas por menos de 1% dos usuários ou nunca são utilizadas.

Sabe, aqueles 120 relatórios indispensáveis que levaram meses para serem feitos, a grande maioria nunca será acessada.

Concluindo

Nada do que eu coloquei aqui é uma regra ou verdade absoluta, são apenas dicas baseadas na experiência que tive em mais de 150 projetos que participei nas áreas de sistemas, aplicativos, e-commerce, games, redes sociais entre outros e que acho que vale a pena você considerar se esta pensando em iniciar um projeto de tecnologia.

…………………………………………………………………………………………………………………………..

Formado em Ciência da Computação pelo Centro Universitário Nove de Julho, Processos Gerenciais pela Universidade Anhembi Morumbi e MBA com ênfase em Engenharia de Software SOA pela FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista) Rafael Franco é sócio e fundador da Alphacode, empresa de desenvolvimento de soluções digitais.

5 coisas para pensar antes de iniciar uma loja virtual

Todas as semanas recebemos contatos de pessoas interessadas em iniciar um projeto de loja virtual, porém infelizmente grande parte delas não tem a real dimensão da quantidade de detalhes que precisam ser definidos antes de iniciar um projeto destes, pensando nisso reunimos aqui os principais pontos de atenção que o empreendedor deve levar em conta.

Para quem não sabe onde quer chegar qualquer caminho esta correto

1 – Design

O primeiro ponto de atenção é relativo ao design que será utilizado na loja, você já possui uma identidade visual? Marca, logo etc? Se sim, isso deve ser levado em conta, se não, quem sabe não é a hora de criar.

Nessa questão existem algumas opções, são elas:

  • Criação de um design exclusivo, é a opção de maior custo mas garante que o visual de sua loja será único.
  • Utilização de template, também garante um resultado excelente com uma grande redução de custos no projeto.
  • Replicação do layout atual, essa é uma opção para quem já possui uma loja e pretende apenas migrar de plataforma

2 – Meio de pagamento

Como você pretende receber por suas vendas? Nesse quesito as opções são múltiplas, desde a integração direta com os meios de pagamento até a utilização de gateways ou intermediários de pagamento. Não sabe o que fazer? Fale com um especialista.

3 – Frete

Normalmente quem inicia no mercado de e-commerce imagina que a única forma de envio de produtos é o serviço dos Correios, pois além desse serviço existem diversas possibilidades de integração com transportadoras dos mais diversos portes, escolha a que for melhor para o seu negócio.

4 – Análise de risco

Analisar o perfil dos seus possíveis compradores pode ser vital para sua operação a depender do produto vendido com o objetivo de reduzir assim o “charge-back” e as fraudes em sua loja.

É nesse momento que os parceiros de análise de risco são integrados a sua loja virtual para aumentar a sua segurança.

5 – Notas fiscais

Venda feita, como emitir as notas fiscais? Chegou a hora de integrar uma solução de emissão de notas fiscais eletrônicas a sua loja, diretamente ou através de uma plataforma de ERP parceira.

Bom esses foram apenas 5 pontos principais mais eu poderia listar aqui mais 10 ou 20 muito importantes para o sucesso da sua loja virtual.

Por isso consulte sempre um especialista!

Até a próxima.

Módulo Bcash Transparente para Opencart

 

Bcash Transparente, meu primeiro produto na Envato Market Places!

Unknown-1

 

Eu já devo ter falado para umas 20 pessoas sobre a minha vontade de trabalhar com Digital Products vendidos exclusivamente via Envato Market Places e como as histórias das pessoas que trabalham por lá tem histórias interessantes, pois bem agora a idéia saiu do papel e estou entrando de cabeça nesse mercado, e vou compartilhar aqui como vai ser a experiência.

E hoje estou lançando meu primeiro produto, trata-se de um módulo para integração transparente entre lojas Opencart, que são minha especialidade e o gateway de pagamento Bcash.

A integração é bem objetiva e usa a API oficial do Bcash, eu fiz um vídeo para auxiliar na instalação que você pode conferir abaixo:

É isso, vamos adiante!

 

Confira as novidades do Opencart 2.0

Já faz algum tempo que o a plataforma Opencart 2.0 se tornou uma ótima opção quando o assunto é a construção de lojas virtuais, seja pela facilidade de utilização, flexibilidade de customização ou pelo grande volume de módulos disponíveis.

Porém apesar do sucesso conseguido em seus primeiros anos, a plataforma foi lançada em Abril de 2010, alguns problemas e limitações da ferramenta ainda podiam ser obstáculos para uma maior adoção por parte das lojas.

 Com essas melhorias o Opencart se consolida ainda mais como uma ótima opção quando o assunto é e-commerce.

Porém este cenário mudou consideravelmente no final de 2014 com o lançamento da versão 2.0 do sistema, que trouxe uma série de correções, melhorias e novidades a tempos pedidos pela comunidade.

Listei aqui algumas novidades mais interessantes desta nova versão:

Opencart 2.0
Opencart 2.0

Bootstrap

Esta nova versão da plataforma é totalmente baseada no framework Bootsrap o que torna o seu código mais legível, rápido e facilmente customizável. Além disso o trabalho de desenvolvimento de módulos e plug-ins se torna muito mais simples.

Velocidade

Em alguns testes comparativos entre a versão 2.0 e a 1.5 foram verificados ganhos de desempenho da ordem de 50%, isso se deve as melhorias do código tanto em sua construção como na utilização do Bootstrap.

Layout responsivo

Todos sabemos da importância em disponibilizar uma versão compatível de sua loja com o mundo mobile, e nesta nova versão, esse comportamento já foi colocado como padrão, dessa forma ao utilizar o tema inicial da plataforma sua loja já estará adequada para smartphones.

Campos customizáveis

Cada loja, segmento ou país possuem regras e necessidades específicas, como é o caso do campo CPF no Brasil. Agora a criação de novos campos no cadastro do usuário não dependem mais de alterações no código da loja e podem ser realizadas diretamente pelo administrador da loja no painel de controle.

Gerenciador de módulos

Uma grande dificuldade da versão anterior da plataforma estava na instalação de módulos que sempre precisava ser feita por alguém com acesso ao código da loja. Porém a partir de agora os módulos compatíveis podem ser instalados diretamente através do panel de controle com o upload do módulo, em um comportamento similar ao já altamente conhecido sistema de plug-ins do WordPress.

No vídeo abaixo, você confere um resumo das novidades e melhorias:

 

Essas são apenas algumas das novidades, mas existem centenas de melhorias que você pode aproveitar ao utilizar o Opencart 2.0 como plataforma para sua loja virtual.

Até a próxima!

 

 

 

 

4 pontos para incluir no seu planejamento de Marketing Digital em 2015.

Confira os pontos que não podem faltar em seu Planejamento de Marketing Digital para o ano que está chegando.

Fim de ano chegando, os departamentos de marketing se encontram as voltas com o planejamento de ações para o mundo digital no ano que vai chegar.

Pensando nisso, separei quatro temas que devem estar destacados nos planos online das marcas para 2015.

1 – Mobilidade

Não é mais futuro, é presente, a relevância do mobile hoje já é uma realidade. Se o site da sua empresa não esta preparado para o mundo mobile, e não é como a Google denomina: “Mobile Friendly”, pode se preparar para piores resultados em SEO e redução nas visitas orgânicas.

Não sabe se o seu site é compatível? Utilize a ferramenta da Google para verificar no link: https://www.google.com/webmasters/tools/mobile-friendly

2 – Conteúdo efetivo para Redes Sociais.

A entrega de conteúdo nas redes sociais, se tornou um problema para as marcas em 2014, para o próximo ano a dica é: foco na qualidade e não na quantidade de conteúdo.

Estratégias segmentadas, direcionadas e com publicações efetivas que tragam valor para a “timeline” do usuário são a receita para melhorar os resultados nas redes sociais.

3 – Relacionamento nas Redes Socias.

Acompanhar as conversas nas redes sociais já é parte da estratégia a algum tempo, porém com as novas ferramentas de busca do Facebook, novas oportunidades de comunicação e inserção de produtos e serviços serão abertas.

Estar atento as discussões e as necessidades do consumidor, e oferecer vantagens a esse público, pode fazer a diferença nos resultados obtidos através das redes.

4 – Segmentação de público.

As ferramentas de segmentação de público para mídia e comunicação tem se tornado cada vez mais avançadas, dessa forma utilizar o online com mensagens sem segmentação, pode ser um erro fatal para o “budget” das marcas.

Desta forma uma estratégia que consiga alinhar segmentação, mensagem e design adequados ao público trabalhado em conjunto com soluções de TI como: a utilização de Landing-Pages podem aumentar e muito os resultados das campanhas de mídia.

Facebook ativa a busca por posts. As marcas devem se preocupar?

Publicações, antes restritas poderão ser potencializadas com nova ferramenta.

Em mais uma investida em busca em se tornar mais atraente e útil aos seus usuários a rede social de Mark Zuckerberg, acaba de anunciar a inclusão de posts dos usuários em seus resultados de busca.

A novidade intitulada “Facebook Search” pode ser conhecida em detalhes no hot-site especial: http://search.fb.com, lá são explicados os objetivos e regras dessa nova funcionalidade.

E as marcas? Precisam se preocupar?

Bom, basicamente essa nova funcionalidade pode trazer a tona publicações de usuários que anteriormente ficavam restritas apenas ao seu círculo de amigos.

Ou seja, publicações positivas e negativas relacionadas a produtos e serviços poderão ser facilmente encontradas por potenciais clientes e utilizadas na decisão de compra.

Para entender a real necessidade de acompanhamento faça uma busca pela sua marca ou produtos e selecione a opção posts.

Desafio ou oportunidade?

Esse novo cenário, deve ampliar a necessidade de acompanhamento da rede de perto pelas marcas, para que as referências aos seus produtos e serviços, sempre possuam informações verdadeiras e que os clientes tenham o atendimento adequado, tornando o impacto da mensagem positivo.